Para além do meme: com Olimpíadas, skate apresenta salto de vendas

Após as medalhas de Kelvin Hoefler e Rayssa Leal, a procura pelo equipamento cresceu exponencialmente

Rayssa Leal
Rayssa Leal - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 29/07/2021 às 16:02
Atualizado às 16:02

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

A Olimpíada chegou e, em menos de dez dias de competição, já tomou conta da rotina dos brasileiros e é o assunto principal nas rodas de conversa. É claro que os Jogos Olímpicos também invadiram a internet e são tendência nas páginas de memes das redes sociais. 

Entre os mais populares estão os memes que fazem alguma brincadeira ligando o espírito Olímpico, a vontade de ser atleta e o sedentarismo, além, é claro, daquele bom e velho “de repente patriota”.

Contudo, no caso do skate street, a vontade de aprender mais sobre a modalidade vem mexendo com os brasileiros para além dos memes. Entre os dias 25 e 26 de julho, os brasileiros Kelvin Hoefler e Rayssa Leal, a “Fadinha”, garantiram medalha de prata na modalidade de skate street. Não coincidentemente, foi na última segunda-feira (26) que a plataforma Mercado Livre registrou recorde de vendas de Patins e Skates, sendo a maior venda de 2021. 

Já na plataforma OLX, a busca pelo termo skate street apresentou um aumento de 153% entre os dias 25 e 26 de julho, em comparação com o mesmo período no mês anterior. Em relação às vendas, o aumento foi 51% para skate e 67% para skate longboard. 

“As medalhas conquistadas pelo Brasil no Skate, modalidade que estreou nas Olimpíadas de Tóquio e que há muitos anos faz parte do cotidiano nacional, vêm sendo um incentivo para que as pessoas experimentem novas práticas esportivas, e os dados da nossa plataforma refletem essas tendências. O crescimento do segmento de compra e venda de itens usados indicam a reinvenção do modelo de consumo e reflete os novos hábitos dos brasileiros, que procuram produtos de qualidade com preços mais acessíveis, fomentando a economia circular,”, explica Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil.

Leia também