A interrupção das exportações de carne na Argentina pode afetar os brasileiros?

Nova medida adotada pelo país vizinho pode trazer mudanças no Brasil; entenda mais sobre o assunto!

Proibição deve durar 30 dias
Proibição deve durar 30 dias - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 25/05/2021 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

O presidente da Argentina Alberto Fernández anunciou recentemente uma medida inesperada: a proibição da exportação da carne bovina produzida no país por 30 dias. A ideia do Governo é que, com a proibição, haverá maior disponibilidade do produto internamente, o que reduzirá seu valor e, consequentemente, fará a economia argentina dar um passo em direção à redução da inflação no país. 

Contudo, a medida não foi bem recebida pelos pecuaristas argentinos, os quais já anunciaram uma paralisação da produção por pelo menos sete dias (iniciados em 19 de maio). 

O que a paralisação das exportações argentinas têm a ver com o Brasil?

Hoje, a Argentina é, assim como o Brasil, um dos países com maior relevância na produção e exportação de carne bovina em nível mundial. Com isso em mente, dá pra se ter uma ideia do problemão que uma medida como essa pode causar no mercado internacional.

Mas então se a Argentina parar de vender, o mundo todo vai ficar sem ter de quem comprar? Bom, não é bem assim - e é aí que entra o Brasil!

Não tendo como comprar da Argentina, o mercado mundial precisará encontrar alguém que venda este produto à ele e irá gerar uma demanda maior para outros exportadores de carne bovina, como por exemplo, o mercado brasileiro.

Então a interrupção das vendas na Argentina é bom para a economia brasileira?

Ela é boa em partes. Para os produtores brasileiros de carne bovina ela tende a ser positiva, já que o aumento da procura pode ocasionar um salto nas exportações e uns bons milhares de dólares inesperados com as vendas. 

Além disso, a paralisação pode acabar gerando uma quebra de confiança entre mercado argentino e mercado internacional, fazendo com que este passe a procurar outros fornecedores com uma política interna mais estável.

Contudo, para o consumidor brasileiro, aquele que irá comprar a carne no mercado ou açougue do bairro, essa interrupção pode ocasionar consequências negativas, como um novo aumento no preço final do produto, o qual já anda beeeem caro.

Então quer dizer que a carne brasileira vai subir?

As cotações da arroba do boi gordo no Brasil cresceram durante a semana. Na última terça-feira (18), o aumento tinha sido de 1,10%, contudo, na quinta-feira (20) ela sofreu uma queda de -1,26%. 

Ainda é cedo para afirmar algo, mas é muito importante nós ficarmos de olhos bem abertos nas movimentações do mercado argentino e também nos preços das carnes nos supermercados.

Leia também