4 aplicações para quem está começando nos investimentos

É comum que pessoas que estão começando nos investimentos pensem em estratégias arriscadas de aplicação. Mas que tal começar do começo?

Começar um investimento é ideal para quem planeja o futuro
Começar um investimento é ideal para quem planeja o futuro - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 17/11/2021 às 13:30
Atualizado às 13:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Para quem está começando nos investimentos, é normal que a empolgação tome conta de quem aplica e pense em estratégias arriscadas ao começar a investir em renda variável. Mas, é necessário, antes de tudo, entender o seu perfil de investidor e fazer as escolhas certas e não se deixar levar por “investimentos da moda”.

Para você, investidor iniciante, saiba que é necessário fazer o dever de casa antes de aplicar o seu dinheiro. É importante entender como aquele investimento funciona, qual a rentabilidade e, principalmente, quais são os riscos.

De acordo com o Raio X do Investidor, realizado anualmente pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), mais de 48% dos investidores brasileiros pertencem à classe C.

Além disso, uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas realizada este ano comprova que atualmente, mais de 50% dos brasileiros são da Classe C. Ou seja, a classe trabalhadora que conseguiu melhorar o trabalho e a qualidade de vida.

Nesse sentido, esses investidores que aplicam o seu dinheiro em investimentos precisam de segurança. Ou seja, para essa classe, não vale a pena aplicar o seu dinheiro em um investimento em que haja o risco de perder o dinheiro conquistado com todo o suor do seu trabalho.

Além disso, é importante também apostar na diversificação de investimentos, mesmo que na renda fixa. É essencial que os investidores apostem em variadas formas de aplicar o seu dinheiro e entender como cada uma delas funciona.

Por isso, selecionamos hoje 4 tipos de aplicações para quem está começando nos investimentos. Com elas, o seu dinheiro vai render mais que a poupança de forma segura e confiável. Para conhecer, basta continuar a leitura!

1. Certificados de Depósitos Bancários (CDB)

Para quem não conhece, os CDBs são títulos emitidos por instituições financeiras como os bancos que rendem de acordo com um percentual do CDI. Já o CDI é um título de curto prazo emitido pelos bancos, que acompanha de perto a taxa Selic. 

Por isso, o CDB é uma ótima opção para agora, já que a Selic está em 7,75% a.a. É importante também analisar em quanto está fixado o rendimento do CDI, pois elas variam de banco para banco. 

É comum encontrar CDBs que rendem de 90% a 200% do CDI no mercado. Então é importante estar de olho e estudar bastante os locais que você pleiteia aplicar o seu dinheiro.

2. Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto são uma possibilidade de investimento para quem não tem muito para investir. Com um pouco mais de R$ 30, já é possível aplicar nos títulos públicos federais. 

Atualmente, o Tesouro Direto trabalha com três opções de títulos: os Prefixados, o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA. E dentro deles, existem as variações de resgate.

Para quem está começando nos investimentos, o mais recomendado é o Tesouro Selic. Isso porque, ele é um investimento indexado à taxa Selic, possui pouca volatilidade e sofre poucas correções com o passar do tempo.

3. Fundos DI

Uma modalidade um pouco diferente das demais apresentadas, os Fundos de Renda Fixa Referenciados DI funcionam de um jeito diferente. E por isso, vamos supor que ele funcione como um condomínio de investimentos.

Nesse condomínio, os moradores investem recursos individualmente e o montante é aplicado conforme estratégia do síndico. Só que nessa situação, os “moradores” desse condomínio são chamados de cotistas e o “síndico” é o gestor do fundo.

Sendo assim, os Fundos DI possuem a função de garantir aos cotistas uma rentabilidade de 100% do CDI. E para isso, o gestor do fundo terá que escolher em quais títulos investir. 

Esse é um investimento muito procurado por quem está começando nos investimentos por conta da sua liquidez diária. Mas é importante analisar com calma todas as taxas que podem ser cobradas (como de administração e dos investimentos).

Vale ressaltar que esse tipo de investimento não é coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma proteção garantida ao seu investimento em caso de eventuais problemas como a perda do dinheiro em caso de falência da instituição financeira. 

4. LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio funcionam de maneira semelhante ao CDB. E é uma ótima opção já que diferentemente dos já citados Tesouro Direto e Fundos DI, o LCI e LCA não são taxados de Imposto de Renda e de IOF.

Essa é uma opção ótima para quem está começando nos investimentos, já que o LCI e LCA entregam um rendimento líquido maior que em outros tipos de aplicação.

Antes de mais nada, estude!

Apesar dos quatro investimentos citados acima serem uma ótima opção de aplicação para quem está começando no mundo dos investimentos, é imprescindível que o investidor estude cada proposta e entenda qual a melhor de acordo com o seu padrão de vida e com a sua realidade.

E para você que já quer partir para os investimentos de renda variável, como as criptomoedas, lembre-se que é recomendada a diversificação em carteira com investimentos em renda fixa. Assim, é possível ter outras fontes de investimento, caso um desses investimentos variáveis não dê certo.