GRU Cobrança: INSS mudará sistema de recolhimento a partir de setembro

Alteração entrará em vigor no próximo mês, mas outros meios poderão ser utilizados até 2022

GRU Cobrança
GRU Cobrança - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 11/08/2021 às 10:26
Atualizado às 10:26

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) anunciou, na manhã desta quarta-feira (11), uma mudança com relação às ferramentas de arrecadação da pasta. A partir de 1º de setembro, será instituído o Sistema de Emissão da GRU Cobrança do INSS.

De acordo com a Portaria publicada no Diário Oficial da União, o Sistema GRU Cobrança do INSS será destinado “à captação de receitas próprias não previdenciárias e à recuperação de despesas do INSS e do Fundo do Regime Geral de Previdência Social (FRGPS)”. Atualmente, esses tipos de recolhimento são feitos por meio da Guia da Previdência Social (GPS) e da GRU Simples.

Ainda segundo o texto, o recolhimento de valores inferiores a R$50,00, porém, continuará sendo feito por meio da GRU Simples, a qual deverá ser emitida no site da Secretaria do Tesouro Nacional.

O novo sistema de recolhimento iniciará em setembro, contudo, até o dia 30 de junho de 2022 será permitida a utilização, em paralelo, de outros meios ou ferramentas de arrecadação utilizados atualmente. Após esse período, porém, o uso do sistema da GRU Cobrança será obrigatório.

Leia também