Como conseguir se aposentar com o teto máximo do INSS?

Com a Reforma da Previdência, mudaram os cálculos para recebimento do teto máximo do INSS. Veja agora como ficou!

Durante o ano de 2021, o teto máximo do INSS é de R$ 6.433,57
Durante o ano de 2021, o teto máximo do INSS é de R$ 6.433,57 - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 06/11/2021 às 15:30
Atualizado às 15:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Todo trabalhador que possui em mente um plano para a sua aposentadoria. Mesmo que você não tenha planos concretos sobre o que fazer, todos pensam em viver bem e usufruir de todo o trabalho exercido enquanto jovem.

Para você que ainda está em fase de planejamento, é importante lembrar que muitas vezes apenas o dinheiro do INSS não consegue dar conta do período da aposentadoria. Por isso é muito importante pensar em investimentos para essa fase da vida.  

Até porque, o máximo que você pode receber é o teto máximo do INSS. Para saber mais sobre esse assunto, continue a leitura deste artigo.

O que é o teto máximo do INSS?

Conforme adiantamos, o teto do INSS é o valor máximo que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pode pagar aos seus segurados. Durante o ano de 2021, o valor máximo é de R$ 6.433,57.

Todos os anos, esse valor passa por um reajuste baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação entre pessoas que recebem de 1 a 5 salários mínimos, calculado pelo IBGE

O esperado é que esse reajuste para 2022 chegue ao conhecimento do público em janeiro de 2022, levando em consideração o INPC.

Como faço para receber o teto máximo do INSS?

Para receber o teto máximo do INSS quando se aposentar, é necessário que suas contribuições para com o órgão sejam sobre 20% de R$ 6.433,57 (valor de 2021). Ou seja, para receber o valor do teto a sua contribuição mensal deve ser de R$ 1.286,71. 

Nesse sentido, se você é um trabalhador assalariado é necessário que o seu pagamento mensal seja no mínimo igual ao valor do teto máximo. Já que essa, atualmente, seria a única maneira de alcançar a aposentadoria recebendo o teto máximo do INSS.

Ainda assim, mesmo que você receba o valor necessário para se aposentar com o teto máximo, não significa que você receberá esse valor de forma integral.

Isso porque, cada benefício do INSS é calculado de uma maneira diferente. Então é importante ter acesso a um advogado previdenciário que possa orientar você a respeito desse assunto. 

Reforma da Previdência: mudanças na aposentadoria

No ano de 2019 aconteceu a Reforma da Previdência, que trouxe muitas mudanças para as modalidades de aposentadoria, além de mexer também com esse teto máximo do INSS.

Agora, é utilizada a média de todas as contribuições realizadas desde o ano de 1994, o que dificultou que os beneficiários do seguro social chegassem a receber o teto máximo do INSS.

Nessa média, o segurado receberá 60% do valor a título de benefício, mais 2% do valor anual, para mulheres com mais de 15 anos e homens com mais de 20 anos de contribuição. 

Levando em consideração essa média, os segurados do sexo masculino terão que contribuir por 40 anos e os segurados do sexo feminino, por 35 anos para receber perto do teto máximo do INSS. 

Por isso, é comum surgir esse questionamento de se atualmente é possível se aposentar recebendo o teto máximo do INSS. Para chegar a essa resposta, é necessário analisar o período da sua contribuição e avaliar caso a caso.