Impostos e gastos que o consumidor precisa liquidar para começar 2022 no azul

O início do ano costuma pegar de surpresa aqueles que não estavam preparados. Confira agora como liquidar gastos e começar 2022 no azul!

Para começar o ano de 2022 com as contas no azul, é necessário se programar para determinadas despesas
Para começar o ano de 2022 com as contas no azul, é necessário se programar para determinadas despesas - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 29/12/2021 às 15:30
Atualizado às 15:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

O mês de dezembro costuma ser um mês mais caro para a população, afinal, são gastos com presentes, ceia de Natal, Réveillon, entre outros. A diferença é que fica mais fácil de não perceber por conta da chegada do 13º salário, que costuma suprir bem essas despesas que surgem.

No entanto, por conta do clima festivo, as pessoas se esquecem de se organizar financeiramente com o momento que de fato importa: o começo do ano. Janeiro já começa trazendo a cobrança de impostos e gastos inevitáveis.

Por isso, é essencial que para começar 2022 no azul, o brasileiro se atente aos “7 inimigos”, que são impostos e gastos que o consumidor precisa estar atento. São eles: IPVA, IPTU, DPVAT, matrícula escolar, compra de material escolar, contas de natal e ano novo, e por último, os seguros. 

1. IPVA

O Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é uma cobrança tributária realizada anualmente no início de cada ano. O valor varia de acordo com o modelo-ano do carro e também da alíquota do Estado. 

Esse tributo normalmente disponibiliza duas opções de pagamento: à vista ou parcelado. E, normalmente, para aqueles que pagam à vista, é comum que o pagamento possua um desconto para o proprietário.

Por isso, vale a pena ficar de olho em quanto será o valor do seu IPVA no próximo ano e separar um dinheirinho para o pagamento dessa despesa.

2. IPTU

Outro tributo que também chega logo no início do ano é o Imposto Sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). Pago por proprietários de imóveis, o IPTU é determinado pelas prefeituras e varia conforme o tipo de propriedade.

Outros fatores também influenciam no valor do IPTU, como: onde o imóvel está localizado, qual sua condição e idade. Com isso, incide-se uma taxa em cima do valor que precisa ser pago por conta do imóvel.

Esse é um imposto que também disponibiliza a opção de pagamento à vista ou parcelado. Sendo assim, a opção à vista também apresenta vantagens por conta do desconto.

3. DPVAT

Mais um tributo para aqueles que possuem carro é o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores Terrestres, conhecido também pela sigla DPVAT

Este é um seguro obrigatório que o condutor deve pagar às vítimas e famílias das vítimas de acidentes de trânsito, com o intuito de indenizar casos de invalidez permanente e morte ou para o reembolso de despesas médicas.

Vale lembrar que esse imposto vem apresentando reduções e tornou-se bem acessível para o bolso. Por isso, ele é pago em cota única e sem descontos.

4. Matrícula e compra de material escolar

Com o começo do ano também há a incidência da matrícula e da compra de material escolar. A matrícula é uma taxa fixa, que não permite negociação e o valor varia de acordo com a escola e grau que seu filho está.

Já o material escolar é aquela lista enviada aos pais com todos os materiais necessários para o próximo ano letivo. Uma boa maneira de economizar com esses itens é analisando de loja em loja o que é possível comprar mais barato.

5. Contas de Natal e Ano Novo

Muitas pessoas se empolgam em dezembro e acabam gastando mais do que deviam para pagar nos próximos meses. No entanto, é preciso ter em mente que o mês de janeiro possui despesas fixas, que não permitem negociação. 

Outra cobrança importante para se atentar é o cartão de crédito. É preciso pagar todas as contas em dia para não transformar seus gastos em uma bola de neve. Por isso, vale a pena segurar as pontas em dezembro para começar 2022 no azul!

6. Seguros

Para aqueles que possuem seguros, é comum que logo no início do ano eles também passem por uma renovação anual. Mas essa é uma cobrança mais flexível que permite negociação e também dá desconto para quem paga adiantado.