Franquias do setor de construção, saúde e bem-estar apresentam alta em meio à pandemia

De acordo com números da ABF, segmentos fecharam 2020 com faturamento maior do que no ano anterior

Casa e Construção
Casa e Construção - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 06/05/2021 às 08:50
Atualizado às 08:50

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

A pandemia da Covid-19 pegou os empreendedores de surpresa e, de um dia para o outro, muitos viram seus faturamentos caírem e a instabilidade tomar conta dos seus livros-caixa. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o ano de 2020 levou 9,2% das unidades de franquias do Brasil a fecharem as portas, um número bem expressivo se comparado aos 4,9% de 2019. 

Contudo, para alguns setores, os reflexos econômicos gerados pela pandemia em 2020 não foram tão negativos assim, como é o caso dos setores de Casa e Construção e Saúde, Beleza e Bem Estar. 

Enquanto o setor de Hotelaria e Turismo apresentou uma baixa de -49,8% no faturamento anual, o setor de Casa e Construção teve alta de 12,8%, fechando o ano com um faturamento de R$12.429 bilhões. Esses números são um claro reflexo do comportamento do consumidor durante a pandemia, uma vez que as viagens se tornaram mais escassas, enquanto os cuidados com a casa cresceram exponencialmente.

Com relação ao segmento de Saúde, Beleza e Bem Estar, o qual também fechou 2020 no azul, com um faturamento anual 3,1% maior do que em 2019, a tendência é que esse crescimento se estenda para os próximos anos. 

Fernando Nero, CEO de um grupo de franquias de produtos do mercado fitness, acredita que a pandemia gerou uma mudança de hábito nas pessoas. “Todo esse movimento é o prenúncio de bons negócios depois que a vacina atingir a população. As pessoas estão olhando mais para alimentação, sentindo falta de movimentar e exercitar o corpo. Acredito que há uma tendência de onda saudável para os próximos anos", pontua Nero. 

Novos empreendedores

Para aqueles que planejam investir em uma franquia em 2021, é extremamente importante que uma questão seja colocada em pauta: o impacto que a pandemia causou e vem causando no segmento da franquia escolhida.

As campanhas de vacinação contra a Covid-19 são uma realidade hoje no país, mas a pandemia infelizmente ainda está longe de chegar ao fim. Por isso, optar por um segmento que foi altamente impactado durante este período pode ser uma escolha arriscada. 

Dessa forma, antes de bater o martelo no novo empreendimento, analise os dados disponíveis e também os riscos que está disposto a correr (e bancar). Com tudo na ponta do lápis, seu novo negócio virá com mais segurança e sem grandes surpresas.

Checando possibilidades

Para que os interessados possam dar uma olhadinha nas possibilidades de franquias dos setores de construção, saúde e bem-estar, separamos abaixo algumas opções com seus valores de investimento e também com a média de retorno mensal. 

As informações foram obtidas através do site da Associação Brasileira de Franchising e de Assessorias:

> ULTRA FIT

Investimento inicial: a partir de de R$1,5 milhões

Faturamento médio mensal: a partir de R$150 mil

> ORAL SIN IMPLANTES

Investimento inicial: a partir de R$500.000

Faturamento médio mensal: R$220.000

> BRASIL NUTRI SHOP

Investimento inicial: a partir de R$9.000

Faturamento médio mensal: R$10.000

> CASA DO CONSTRUTOR

Investimento inicial: a partir de R$370.000

Faturamento médio mensal: R$90.000

> REMAX

Investimento inicial: a partir de R$100.000

Faturamento médio mensal: R$120.000

Leia também