Previsão do salário mínimo é de R$ 1.211, segundo relator do Orçamento

O parecer do salário mínimo é de Hugo Leal (PSD-RJ), deputado federal e relator do Orçamento de 2022.

O salário mínimo de 2022 não terá aumento, apenas um reajuste considerando a inflação
O salário mínimo de 2022 não terá aumento, apenas um reajuste considerando a inflação - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 20/12/2021 às 16:30
Atualizado às 16:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Nesta segunda-feira (20), o deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ), que também é relator do Orçamento de 2022, apresentou um relatório que prevê que o salário mínimo de 2022 será de R$ 1.211,98.

O valor vai de encontro a previsões anteriores feita por especialistas que diziam que o reajuste do valor seria acima dos R$ 1.200. Atualmente, o salário mínimo é de R$ 1.100. 

Apesar do valor apresentar um acréscimo de R$ 111,98, esse valor não apresenta um aumento real, mas sim uma correção levando em consideração o aumento da inflação.

O indicador utilizado para calcular o reajuste anual do salário mínimo é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que verifica a inflação entre a população que possui rendimentos até 5 salários mínimos, portanto, as mais vulneráveis.  

Segundo o relator Hugo Leal, a estimativa é de que este indicador se encerre em 10,18%. Ou seja, um índice inflacionário de dois dígitos. O valor oficial do salário mínimo, no entanto, só será divulgado em janeiro, quando houver a divulgação mensal do INPC pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O texto apresentado pelo relator diz que “a aceleração inflacionária também impactou o INPC, índice utilizado para a correção do salário mínimo e dos valores dos benefícios previdenciários e assistenciais, acumulando alta em 12 meses encerrados em novembro de 9,36%. A projeção oficial para o INPC é de 10,04% para 2021 e de 4,25% para 2022, conforme parâmetros da SPE”.

No texto, Hugo Leal também diz que “no Substitutivo, foi adotada projeção do INPC de 10,18% para 2021, por considerar que esse índice deverá se situar em patamar próximo do IPCA esperado pelo mercado, conforme Boletim Focus publicado em 6/12/2021”, acrescenta o relator.

O texto tinha previsão de ser apresentado nesta segunda-feira pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) e, depois, em plenário. Contudo, a pauta foi adiada para terça-feira (21) por falta de acordo entre os parlamentares.