É possível montar uma reserva de emergência ganhando pouco?

Sabemos que poupar quando se ganha pouco não é fácil, mas é necessário - e possível!

Comece a montar a sua reserva de emergência hoje mesmo
Comece a montar a sua reserva de emergência hoje mesmo - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 12/06/2021 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Se você faz parte do time das pessoas que têm quase 100% do salário direcionado para as despesas essenciais da casa, provavelmente você respondeu à pergunta do título da matéria com um grande “NÃO”. Afinal, com que dinheiro você irá montar uma reserva de emergência se todos os meses você acaba caindo no cheque especial? Sabemos que poupar quando se ganha pouco não é fácil, mas é necessário - e possível!

A pandemia da Covid-19 vem nos mostrando, dia após dia, o quão essencial é estarmos preparados para momentos de crise, já que eles realmente são imprevisíveis e podem chegar a qualquer momento. 

Pensando nisso, separamos abaixo algumas informações e orientações bem práticas para te ajudar a iniciar hoje a montagem da sua reserva de emergência.

Pra que serve?

Como seu próprio nome já diz, a reserva de emergência serve para… emergências! Sabe quando surge, inesperadamente, um vazamento na casa, um problema de saúde ou até mesmo uma demissão e/ou crise no próprio negócio? É aqui que a reserva de emergência entra para te dar um respiro e não te deixar cair nas garras do tão temido cheque especial.

Ela também pode ser utilizada para surpresas boas, é claro. Já imaginou conseguir um emprego superbacana fora da sua cidade, mas não ter uma reserva para arcar com as despesas da mudança e acabar perdendo a oportunidade por conta disso? Triste, né!

Ah, e só para deixar bem bem beeem claro aqui: reservas de emergência são para emergências! Nada de querer gastar a sua reserva para, depois que a pandemia acabar, ir para a praia passar o feriadão, hein! 

Por onde começar?

Como falamos lá no início, você não só pode como deve começar a sua reserva de emergência já. Para isso, confira abaixo os caminhos indicados para esses primeiros passos:

1) Avalie suas finanças 

Antes de determinar quanto você vai guardar por mês, coloque todas as suas despesas na ponta do lápis. Quanto você gasta com as suas despesas fixas? Quais são as suas despesas variáveis e no que você pode reduzir para “pagar” a sua reserva?

É preciso garantir a reserva com a renda que você tem hoje. Deixe pra lá aquele discurso de “no dia que eu receber um aumento eu começo a poupar”. Este pensamento só vai fazer você gastar esse recurso que poderia estar poupando em outra despesa “cortável”.

2) Estabeleça metas possíveis 

Se ao colocar suas despesas no papel você percebeu que hoje irá conseguir poupar mensalmente apenas R$ 20 e por isso acha que não vale a pena começar uma reserva de emergência, meu amigo e minha amiga, vale a pena sim!

É um valor baixo? Sim! Vai demorar mais para você conseguir acumular em sua reserva o valor de um salário mínimo, por exemplo? Sim! Mas já é um começo! O importante aqui é você estabelecer uma meta e verdadeiramente se comprometer com ela.

3) Quanto eu preciso ter na minha reserva de emergência?

Depende! O valor da sua reserva de emergência vai variar conforme as suas escolhas e necessidades. Quer um exemplo? Dê uma olhadinha na situação hipotética que criamos abaixo!

João possui despesas fixas mensais de R $600 e despesas variáveis, que são aquelas que ele gasta comprando um cafezinho, um remédio de dor de cabeça ou coisas do tipo, de R$ 450. Ou seja, mensalmente, para João fechar o mês no azul, ele gasta R$ 1.050.

No caso de João, o indicado seria ele ter em sua reserva de emergência, pelo menos, este valor de R$ 1.050. Por que? Para que, caso ele seja despedido ou a empresa feche as portas, ele tenha em caixa um mês garantido. 

Cabe ao João, contudo, avaliar quantos meses ele imagina que levaria para conseguir uma nova fonte de renda e, consecutivamente, quanto de dinheiro ele precisará ter em sua reserva para passar por esse período. Lembrando que, na hora de iniciar a reserva de emergência, mais importante do que começar com muito está o simplesmente começar

4) Encontre o melhor local para deixar seu dinheiro

Finanças analisadas, despesas variáveis acertadas e meta possível estabelecida - agora é hora de efetivamente guardar o seu dinheiro.

Há diversos locais em que você pode deixar investida a sua reserva de emergência: poupança, Tesouro Selic, CDBs, fundos de renda fixa e por aí vai. Tenha em mente, porém, que este dinheiro precisa estar em um local seguro, em que você possa retirá-lo no momento em que desejar e, de preferência, rendendo o máximo possível.

Para isso, você deve avaliar, dentre as opções disponíveis no mercado financeiro, investimentos que tenham alta liquidez (ou seja, que você pode retirar a qualquer momento) e que sejam seguros. Com essas duas características imprescindíveis ok, aí é só você escolher o investimento com melhor rendimento e pronto, sua reserva de emergência já tem um lugar fixo para ficar.

Leia também