Dia da Gestante: 3 dicas financeiras para quem está pensando em ter um filho

Quer aumentar a família? Então é hora de planejar o seu orçamento para essa grande chegada

Dia da Gestante
Dia da Gestante - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 15/08/2021 às 08:00
Atualizado às 08:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Ter um filho, seja ele por meio da gestação ou adoção, é um grande mix de responsabilidade, alegria e… gastos extras. Não tem como negar, a chegada de um filho é sentida pelo coração e também pelo bolso.

Neste Dia da Gestante, preparamos algumas dicas financeiras especiais para quem está pensando em gerar um filho. Afinal, o seu orçamento está ciente - e preparado - para arcar com todas as despesas que essa criança trará? É hora de analisar, planejar e se preparar para esse grande passo.

Dica 1: plano de saúde, SUS ou particular?

Começamos as dicas com uma perguntinha para as futuras mamães: como você pretende acompanhar o desenvolvimento da criança durante a gestação e ter esse filho? Por meio de atendimentos feitos em clínicas ou hospitais particulares, públicos ou conveniados com um plano de saúde?

Pensar nessas opções é essencial para que você saiba os custos que todo o pré-natal e parto terão no seu orçamento. No caso dos atendimentos públicos, feitos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), você não terá nenhum gasto com exames e com o próprio parto, contudo, nos atendimentos particulares, os custos existem e são bem expressivos. 

Para quem possui plano de saúde, antes de qualquer coisa é importante checar se o seu plano cobre a parte obstetrícia, para evitar surpresas desagradáveis. Se ele cobrir, verifique no seu contrato ou entre em contato com a empresa responsável para checar se haverá a cobrança de alguma taxa diferenciada para o parto e em quais hospitais ele poderá ser realizado.

Dica 2: atenção na hora de montar o enxoval

Ok, nós sabemos o quão fofas são as roupinhas, acessórios e brinquedos de crianças. A vontade que dá é de colocar tudo no carrinho e levar para casa, né? Mas muita calma nessa hora!

O momento de montagem do enxoval não deve ser feito sem um planejamento ou guiado apenas pela emoção. Sabe aquela amiga ou amigo que teve bebê recentemente e que você sabe que é uma pessoa confiável? Chame ela no WhatsApp e pergunte quais os itens que ela mais utiliza no dia a dia com a criança. 

Se possível, mande uma pergunta bem sincera: o que você comprou e nunca, ou quase nunca, usou? 

Dessa forma, você consegue eliminar diversos gastos supérfluos e concentrar o seu recurso financeiro no que realmente importa. 

Dica 3: analise a rotina

Como é a sua rotina? Essa pequena pergunta fará muita diferença na preparação do seu planejamento financeiro para a chegada de um filho. 

Se você trabalha fora, por exemplo, é importante pensar com quem o bebê ficará durante todo o dia depois que o período de licença (seja o período de licença materna ou paterna) acabar. O bebê poderá ficar em casa com algum dos responsáveis, terá que ir à escolinha (pública ou privada) ou alguma pessoa da sua rede de apoio cuidará da criança? 

Caso a opção seja a escolinha, e você opte por uma privada, é bom já fazer uma pesquisa de preço nas escolas que deseja para ver qual se encaixa melhor no seu bolso. Se a opção for por uma instituição pública, é essencial que você já entre em contato com a secretaria do local para verificar a disponibilidade de vagas e horários de atendimento. 

Leia também