Empreender com varejo de moda durante a pandemia é possível?

Empresária revela 3 pontos que foram essenciais para sua loja faturar mesmo em meio à pandemia

Loja de roupa
Loja de roupa - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 11/05/2021 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

A pandemia chegou, a economia retraiu, o desemprego cresceu e muitos empreendedores do setor varejista de moda viram seus faturamentos despencarem, uma vez que boa parte das vendas do setor são compostas por itens não-essenciais, tornando-se, assim, mais fácil de serem cortadas pelos consumidores que se viram afetados financeiramente pela situação atual. 

Com este cenário de retração em mente, é de se imaginar que os investimentos em novos negócios varejistas de moda devem ser cortados também na ideia dos empreendedores… Mas será mesmo?

Carolina Queiroz é uma empresária do setor varejista de moda que, junto da mãe, está à frente de uma loja feminina de roupas localizada na cidade de Londrina, norte do Paraná. Remando contra a maré da retração, Queiroz e a mãe inauguraram a loja em novembro de 2020. “Eu enxergo o empreender no setor hoje como desafio, reinvenção e inovação. As circunstâncias da pandemia da Covid-19 obrigaram o consumidor a repensar seus hábitos de compras, o foco ficou no consumo de itens essenciais para esse período. Então o nosso grande desafio era continuar vendendo roupas em uma fase de contenção econômica e de tanto medo e preocupações”, comenta Queiroz em entrevista ao Finanças & Empreendedorismo.

Contudo, para que o negócio realmente fluísse e trouxesse o retorno financeiro que elas imaginavam durante este período de pandemia, a empresária comenta que, apesar do investimento em uma loja física aconchegante e com boa localização, desde o princípio o foco foram as vendas online. “Com as pessoas evitando sair de casa, nosso olhar se voltou para as vendas online, que cresceram consideravelmente nesse período. Hoje de uma maneira mais rápida e fácil, o cliente na maioria das vezes faz a compra utilizando o celular e recebe o produto em casa no mesmo dia (pra quem mora em nossa cidade). Atualmente fazemos o serviço de entregas para Londrina e região e também ampliamos as vendas para o Brasil todo”, explica.

Ao ser questionada sobre quais são os 3 pontos principais que ela acredita que estão sendo verdadeiros diferenciais durante este período em seu negócio, Queiroz é direta: “Com toda certeza as redes sociais, o tipo de produto e o relacionamento com as clientes têm sido um diferencial para atravessarmos esse momento atípico”. 

- Redes sociais

Com a pandemia, veio também a diminuição da circulação de pessoas pelas ruas e, consecutivamente, pelas vitrines das lojas. Por isso, utilizar as redes sociais para alcançar os seus clientes é algo muito importante para os varejistas de moda neste momento. 

“Atualmente a maioria das nossas vendas se concentram nas redes sociais, através delas conseguimos mostrar nosso trabalho, nossas peças e alcançar mais pessoas que se identifiquem com o estilo da loja”, reforça Queiroz.

Contudo, lembre-se que quantidade não é sinônimo de qualidade, então pense muito bem nas fotos, vídeos e demais conteúdos que irá postar por lá.

- Relacionamento com as clientes e tipo de produto

Juntamos os dois pontos aqui por uma razão bem simples: você precisa se relacionar com o seu público, e o seu público é basicamente quem compra o seu tipo de produto. 

“O relacionamento com as clientes têm sido um ponto bem relevante também, no sentido de que hoje as pessoas têm dado preferência à marcas e empresas mais humanizadas e que tenham mais proximidade com a necessidade e com o desejo do consumidor, por isso é muito interessante que os empreendedores tenham essa sensibilidade e essa proximidade com o seu público”, aconselha a empresária. Ou seja: invista tempo, energia e criatividade para encontrar formas de, apesar da distância física, estar pertinho do seu cliente. 

Algumas dicas bem simples que deixamos aqui é: 1) Utilize as redes sociais da loja para isso, com conteúdos de valor para quem te acompanha, não apenas conteúdos voltados diretamente para a venda; 2) Se possível, participe das produções das fotos e vídeos da sua loja, afinal, muito mais fácil você criar um relacionamento com alguém que você sabe quem é, não é mesmo? Para o seu cliente também!; 3) Capriche na embalagem, se possível, investindo tempo para fazer em um recadinho especial e personalizado para o cliente.

Investir em varejo de moda durante a pandemia é possível sim, mas requer uma dose extra de planejamento, dedicação, tecnologia e relacionamento com o cliente. 

Leia também