CNAE: como incluir sua empresa na classificação correta?

A Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) é um grande passo para quem quer se regularizar como empresa!

CNAE é a sigla para Classificação Nacional de Atividades Econômicas
CNAE é a sigla para Classificação Nacional de Atividades Econômicas - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 08/10/2021 às 11:35
Atualizado às 11:35

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Para aqueles que recentemente regularizaram a sua empresa, ou estão pensando em se regularizar, saiba que existe uma definição muito importante que você precisa ter em mente: a Classificação Nacional de Atividades Econômicas, conhecida pela sigla CNAE.

O CNAE é um dos passos mais importantes para a definição da sua empresa. Isso porque, é ele quem definirá, perante situações específicas e burocráticas a atuação do seu negócio. Além disso, ele ajuda você a evitar problemas no futuro.

O que é o CNAE?

Antes de mais nada, o CNAE é um código numérico que define as atividades econômicas e o segmento da sua empresa. Ela é muito importante porque define exatamente quais são os impostos que a sua empresa deve arcar.

Nesse sentido, a Classificação Nacional de Atividades Econômicas cabe a todas as empresas, independentemente dela ser um organismo público ou privado. 

Então, caso você seja uma pessoa jurídica que atue no âmbito de bens e serviços, provavelmente você possui um CNAE que corresponda as suas atividades.

Como escolher o CNAE correto?

Essa é uma dúvida importante, principalmente para aqueles que atuam em mais de um ramo. E, para fazer a escolha da atividade econômica correta, é recomendável que você peça ajuda profissional de um contador.

Para isso, é importante que você esclareça quais são as suas atividades principais e quais delas podem se tornar uma atividade secundária. A partir dessas informações, o contador pode te direcionar ao código correto.

Após ter ciência da classificação correta, você pode acrescentar CNAE’s secundárias às suas atividades. Fazendo assim com que você seja um profissional completo e que possui variedade na prática de seus serviços.

Além disso, é possível acrescentar cerca de 99 atividades secundárias aquelas que você já exerce. Apesar de parecer empolgante ter vários CNAE’s secundários, é importante ter em mente que essas atividades são tributadas.

Nesse sentido, é importante acrescentar apenas aquelas que servirão para você nesse primeiro momento. E, caso surja a necessidade, acrescente outras futuramente.

Para quem tem a curiosidade de saber quais são os CNAE disponibilizados pelo Governo Federal, basta acessar o site do IBGE. Lá, é possível inserir uma palavra-chave e o site buscará para você as atividades relacionadas juntamente com o código de cada atividade econômica.

Por fim, lembre-se de buscar ajuda profissional antes de abrir a sua empresa. Existem burocracias que envolvem essa abertura. Sendo assim, é essencial que você esteja informado para que não ocorram problemas no futuro. 

Fontes: Jornal Contábil e IBGE.

TAGS