Preservar a floresta Amazônica também é uma questão econômica

Além de importante nas áreas social e ambiental, preservar a Amazônia tem também um grande peso econômico

Floresta Amazônica vista de cima
Floresta Amazônica vista de cima - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 30/04/2021 às 09:00
Atualizado às 09:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Se você acha que preservar a Amazônia não gera efeitos positivos no âmbito econômico, estamos aqui hoje para te mostrar que, sim, preservar a floresta Amazônica também é uma questão econômica - e uma “baita” questão. 

Considerada a maior floresta tropical do mundo, a Amazônia perpassa as fronteiras brasileiras, chegando à Colômbia, Peru e outros países da América Latina. Além da sua extensão, a floresta também é conhecida por abrigar uma rica biodiversidade de fauna e flora.

Dito isso, agora vamos mergulhar nos “porquês” a floresta, além de ser um tesouro ambiental, é também uma importante moeda econômica quando esta é pautada nos princípios sustentáveis de preservação. 

Para esse mergulho, conversamos com a especialista Leila Pellegrino, que é professora de Economia e coordenadora do curso de Administração da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas.

A preservação da Amazônia é importante só para o Brasil? 

Por conta da sua extensão e biodiversidade, a Amazônia é uma verdadeira “joia rara” para toda a população mundial e por isso é tão debatida - e sua preservação cobrada - em fóruns internacionais. 

Elemento chave na questão climática, Pellegrino afirma que a questão da preservação Amazônica vai muito além das fronteiras brasileiras. “A primeira questão que coloca a Amazônia como um elemento importante é justamente o fato de que ela é um elemento chave nas questões relativas às mudanças climáticas, ou seja, a questão climática, que é uma prioridade internacional, tem a Amazônia como um agente importante”.

Para a professora, a floresta afeta diretamente a maneira como se organiza a vida em diversos espaços, sejam estes nacionais ou internacionais, uma vez que qualquer alteração climática gerada naquele ecossistema traz impactos tanto para a população que vive em torno da floresta, como também para a população que mora longe dela, por conta do aquecimento em escala global que essas alterações geram. 

Dessa forma, podemos dizer que não, a Amazônia não é importante apenas para o Brasil, mas sim para toda a comunidade internacional. 

Preservar a Amazônia é também uma questão econômica?

De acordo com Pellegrino, atualmente, grandes economias internacionais vêm caminhando em direção a um desenvolvimento econômico atrelado ao crescimento social e ambiental. Investimentos pesados em projetos sustentáveis ambiental e socialmente vêm sendo feitos pelos Estados Unidos, China e alguns países europeus. O que isso quer dizer? Quer dizer que o crescimento sustentável está “em alta” e que a preservação da Amazônia é também uma oportunidade de negócio para o Brasil.

“Existe uma série de oportunidades de negócios e de desenvolvimento econômico que estão diretamente associadas à preservação da floresta e da sua biodiversidade. Se a gente consegue fazer a conservação apropriada dessa diversidade, a gente consegue também utilizar, de uma maneira adequada, os recursos genéticos contidos na floresta. Podemos atrair investimentos em modelos de desenvolvimento sustentável, os quais podem promover o desenvolvimento nacional e internacional. É um caminho importante de negócio esse da possibilidade da cooperação internacional”, explica a professora.

Ainda segundo a professora, essa cooperação envolve o trabalho de desenvolvimento e pesquisa em cima de diversos recursos da floresta, em especial os genéticos, os biológicos e os biomiméticos. Ou seja, dentro da Amazônia podem estar as respostas de diversas pesquisas, sejam elas médicas, industriais ou processuais, as quais podem ser obtidas sem que haja a destruição da floresta. 

Para avançar para esse desenvolvimento sustentável, porém, o país precisa assumir um posicionamento e elencar a preservação da floresta como item prioritário em sua agenda. “A gente tem o mais importante que é a floresta, existem oportunidades de investimento interessadas no fomento dessa opção de desenvolvimento [sustentável], então ele precisa ser prioritário”, comenta Pellegrino.

Na onda da sustentabilidade

Sustentabilidade é um modelo de desenvolvimento que busca suprir as necessidades das gerações presentes sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprirem suas próprias necessidades. Nos últimos anos, a busca por um desenvolvimento ligado aos preceitos sustentáveis vem ganhando ainda mais espaço nos projetos de grandes países, como citamos nos parágrafos acima. 

Dessa forma entende-se que, ao priorizar o cuidado e a preservação da Amazônia, o Brasil está não só cuidando da riqueza ambiental da floresta, como também remando na mesma direção de grandes países, no que diz respeito ao desenvolvimento econômico sustentável. “No meu entendimento, preservar a floresta Amazônica, cuidar dessa diversidade, significa olhar para esse futuro e compactuar com esse projeto de desenvolvimento voltado para o futuro”, finaliza Pellegrino. 

Leia também