O que esperar da economia para o próximo ano?

Com a alta taxa de juros e de famílias endividadas, o cenário da economia para o próximo ano não demonstra sinais de recuperação.

Atualmente, o Brasil vive um período de recessão técnica
Atualmente, o Brasil vive um período de recessão técnica - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 29/12/2021 às 10:30
Atualizado às 10:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Depois da chegada da Covid-19 em 2020, a economia do Brasil desandou. Isso porque, o cenário de pandemia trouxe muitos problemas sérios como o desemprego, fechamento de empresas e uma alta do dólar.

Depois, 2021 não se mostrou muito diferente. Houve um período de agravamento da pandemia, que gerou muitas mortes e também piorou determinadas áreas econômicas. Aliada a isso, houveram problemas como o embargo de mercadorias brasileiras para o exterior, aumento da inflação e mais pessoas vivendo em condição de pobreza.

E é por isso que o brasileiro pode esperar da economia para o próximo ano um período de economia estagnada. Afinal, todas as áreas possíveis que poderiam reerguer a economia a um patamar pré-pandemia foram afetados.

Um dos principais movimentadores do Produto Interno Bruto (PIB) é justamente o consumo da população. Mas se a população não tiver dinheiro suficiente por conta da inflação e por conta do aumento da taxa básica de juros, ficará difícil mudar esse cenário para algo diferente do que foi possível ver em 2021. 

E o que pode fazer de 2022 ainda mais caótico que 2021 no sentido econômico é o fato de que o próximo ano possui eleições gerais que prometem movimentar ainda mais o que já é possível ver hoje.

Investimentos

A solução para aqueles que querem investir, mas não possuem uma expectativa de melhora no cenário pode ser o investimento em renda fixa ou em ativos no exterior. Essa é uma forma válida de apostar na diversificação de investimentos sem passar necessariamente por um cenário de perdas. 

Outra dica interessante para quem prefere investir em renda fixa é apostar no Tesouro Selic do Tesouro Direto. Como esse é um investimento indexado à taxa básica de juros do Brasil, essa pode ser uma boa solução para aqueles que possuem um perfil mais conservador. 

Além disso, vale a pena se expor menos aos riscos financeiros, já que esse é um momento desfavorável para a economia brasileira. Por isso, faz-se necessário alocar suas aplicações em boas aplicações, com menos volatilidade.