Cesta de Natal vai ficar mais cara este ano. Confira as variações de preços!

De acordo com levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a cesta de Natal já subiu mais de 5,91% este ano.

Alimentos sazonais como o chester e o peru podem fazer a cesta de Natal ficar ainda mais cara!
Alimentos sazonais como o chester e o peru podem fazer a cesta de Natal ficar ainda mais cara! - Shutterstock

por Loyane Lapa
Publicado em 17/11/2021 às 10:30
Atualizado às 10:30

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Com a proximidade do Natal, muitas famílias já começam a se organizar para a ceia de da data comemorativa. Se no ano passado as pessoas estavam desesperançosas, neste ano, com o avanço da vacinação, as coisas começam a melhorar e deixam as pessoas mais otimistas sobre o ano de 2022. 

Mas, ao que tudo indica, a cesta de produtos natalinos vai ficar mais cara esse ano. Segundo a prévia do levantamento realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), esses produtos já subiram cerca de 5,91%.

Pois é! E um dos produtos mais queridos, como o panetone de frutas cristalizadas de 500 gramas, já chegou a quase 26% de aumento em seu preço total.

De acordo com esse levantamento, no fim do ano passado, a cesta de Natal custava em torno de R$ 309,86. Atualmente, os mesmos produtos estão saindo por cerca de R$ 328,17

Para realizar esse cálculo, a Fipe considera a variação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos produtos analisados numa comparação entre a 2ª quadrissemana de dezembro de 2020 com os valores fechados de outubro deste ano. 

Há ainda alimentos como o lombo de porco com osso (bisteca), pernil com osso, o suco de laranja e o vinho tinto que se encontram abaixo do preço registrado no ano passado. Mas, a princípio, os vilões da cesta de Natal desse ano serão o o filé mignon (35,17%), morango (25,35%) e a azeitona (21,91%).

A Fipe também ressaltou que dentro dessa cesta, os produtos considerados sazonais, como peru e chester, sofrem com fortes oscilações entre os meses de novembro e dezembro. Ou seja, a alta desses produtos pode tornar a cesta de Natal ainda mais cara para o consumidor nessa reta final de ano.

Veja abaixo a variação dos produtos da cesta de Natal:

  • Lombo de porco com osso (bisteca) kg: -0,53%
  • Azeite de oliva extra virgem, vidro de 500 ml: 4,79% 
  • Queijo ralado, 100g: 9,04%
  • Macarrão espaguete, caixa de 500g: 1,97%
  • Molho de tomate, 340g, tradicional: 2,56%
  • Palmito inteiro tipo Pupunha, 300g: 7,58%
  • Azeitona verde com caroço, 500g: 21,91%
  • Vinho tinto, 750 ml: -4,29%
  • Suco néctar de laranja, 1 litro: -4,58%
  • Suco néctar de pêssego, 1 litro: 2,98%
  • Bombom, caixa de 251g: 12,83% 
  • Atum sólido, 170g: 4,59% 
  • Peru kg: 7,27% 
  • Champanhe, 660 ml: 4,75%
  • Panetone de frutas cristalizadas, 500g: 25,96% 
  • Pernil com osso kg: -9,76%
  • Filé mignon kg: 35,17%
  • Sorvete kg: 3,24%
  • Bacalhau kg: 12,34% 
  • Uva kg: 4,90%
  • Farofa kg: 13,45% 
  • Bolo pronto kg: 5,63% 
  • Picanha kg: 10,87%
  • Chester kg: 7,27% 
  • Morango caixa (feira): 25,35% 
  • Pêssego kg (feira): 3,83%