Xô, dívidas! Passos simples para restabelecer a sua saúde financeira

Como anda a sua saúde financeira? Confira dicas para deixá-la em dia

Dívidas
Dívidas - Shutterstock

por Gabriela Campos
Publicado em 29/05/2021 às 14:00
Atualizado às 14:00

COMPARTILHEFacebook Finanças e EmpreendedorismoPinterest Finanças e Empreendedorismo

Os primeiros meses do ano são marcados pelas promessas a serem cumpridas nos próximos 365 dias. Ter uma alimentação mais saudável, ler tantos livros por mês, plantar uma árvore, aprender alguma coisa diferente: a lista é grande, diversa e bem criativa. Contudo, muitos acabam esquecendo de um detalhe importante: a saúde financeira!

De acordo com a última Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), de agosto de 2020, 67,5% das famílias brasileiras estão endividadas. Estamos em março, 3º mês do ano e, supondo que muitas pessoas que estão com a saúde financeira em crise ainda não estabeleceram metas de como melhorar a situação, separamos algumas dicas básicas e preciosas para quem deseja encerrar o ano com o checkup das finanças feito e em dia! 

Analise as suas finanças atuais

Como estão os seus gastos atuais? Você gasta tudo que ganha? Se as respostas foram: “altíssimos” e “óbvio”, atenção, encontramos hábitos extremamente nocivos para a saúde financeira. 

É hora de elencar quais gastos são essenciais e quais podem (e devem) ser cortados. Saiba que, dentro dos gastos essenciais, ainda é possível promover algumas economias, por exemplo: se o aluguel está com um valor salgado, tente negociar um desconto; se os gastos em supermercado estão aumentando, experimente substituir alguns produtos ou marcas. 

O ideal nessa fase é que você consiga separar um valor fixo, dentro dos seus rendimentos do mês, para que ele possa ser utilizado na quitação da dívida - sem que haja a criação de novas dívidas, claro! 

Faça as pazes com a sua dívida

Não adianta virar a cara para a sua dívida, fugindo dos telefonemas e amassando os boletos que chegam. Dá vontade, sabemos, mas se a dívida existe, você precisa encará-la!

Das 67,5% das famílias brasileiras apontadas pela Peic como endividadas, 12,1% afirmaram que não possuem condições de realizar o pagamento. Por isso, é extremamente importante que você entre em contato com a empresa e se disponha a negociar. 

Para você é interessante encerrar aquela dívida, mas para a empresa também, por isso, negocie multas e juros para que consiga incluir o pagamento, seja à vista ou parcelado, em seu orçamento mensal.

Tchau dívidas, até nunca mais!

Gastos ajustados, dívida paga ou parcelada, pronto, é hora de respirar aliviado(a)... ou não!

O alívio do nome limpo vem, mas junto dele pode surgir aquela vontade de se endividar novamente. 

Busque sempre realizar as suas compras no débito e, caso haja a necessidade de uma parcelamento, verifique o seu planejamento de gastos mensais. Esse valor cabe na cota separada para as despesas desse segmento? 

Se não couber, a resposta é simples: “xô, dívida! Neste planejamento você não entra mais!”.

Até nunca mais… mesmo?

No tópico acima falamos sobre aquelas compras impensadas, as quais normalmente vêm seguidas de um parcelamento com valor acima do que cabe no planejamento mensal, certo? Certo!

Bom, essa é uma das opções mais recorrentes quando falamos das razões que levam os brasileiros a se endividarem, porém, nem só de compras impensadas se faz uma dívida.

Quando seu automóvel dá problema, um cano de água da sua casa estoura ou, em uma caminhada, você torce o tornozelo, com qual dinheiro você custeia os gastos envolvidos nesse imprevisto? Você tem o dinheiro para isso guardado ou você entra, mais uma vez, no cheque especial para conseguir dar conta? Aí a importância da reserva de emergência!

“Ah, mas eu não consigo guardar muito”, você pode dizer, mas tenha certeza de que todo valor economizado será de grande valia e poderá te ajudar a ficar longe das dívidas, de uma vez por todas!

Bem-vinda, saúde financeira!

Dívidas pagas, planejamento financeiro em dia, reserva de emergência aumentando: enfim o diagnóstico de saúde financeira chegou, você está de alta! 

E agora que você conseguiu colocar os seus exames financeiros em dia, que tal dar um passo em direção ao seu eu do futuro, para que ele desfrute de uma saúde financeira ainda mais abundante? Você pode guardar dinheiro na poupança, investir em ações, títulos de capitalização… opções não faltam! Dê uma estudada, se programe e não deixe de manter a imunidade da sua saúde financeira sempre em alta.